Futebol de Botão

O Futebol de Botão é uma brincadeira que fez parte de minha infância, e me traz ótimas recordações dos anos 70. Nessa época eu e vários colegas do Colégio Luiz Reid nos reuníamos nas tardes de 6a-feira para partidas emocionantes, com direito à "medalhas" de primeiro, segundo e terceiro lugar nos campeonatos. Na verdade as medalhas eram moedinhas antigas que não tinham valor de mercado, mas para nós representavam uma grande conquista.

Também conhecido por Futebol de Mesa ou Jogo de Botão, o Futebol de Botão é uma mistura de esporte e brincadeira praticada por brasileiros há aproximadamente 90 anos, embora ainda não se saiba ao certo sua real origem. O jogo simula uma partida de futebol em uma mesa (campo) com botões que representam os jogadores e são movimentados com o auxílio de uma palheta. O paulista Geraldo Cardoso Décourt (foto abaixo) foi um grande difusor do esporte no Brasil.

Conta-se que por volta de 1920 ele e os colegas utilizavam botões comuns das ceroulas e das calças do uniforme escolar para brincar, prática que não agradava os adultos da época. O jogo acontecia no campo que era riscado na rua ou na calçada, mas devido ao atrito os botões não deslizavam facilmente, migrando depois para mesas. Os goleiros era feitos com caixas de fósforos.

Por volta de 1929 Décourt batizou o jogo de "Celotex", material prensado em placas e fabricado com serragem ou bagaço de cana, que era utilizado para a produção das mesas. Nessa época ele lançou um livro com uma série de regras para o jogo.

Com o passar do tempo e popularização da brincadeira, os botões passaram a ser produzidos por fábricas de artefatos de plástico ou de brinquedos, de forma específica para o jogo. As mesas passaram a ser projetadas para atender às novas regras que surgiram.

Um brasileiro que apoiou Décourt em seu esforço pela divulgação do esporte foi Antonio Maria Della Torre (foto abaixo, à esquerda de Décourt), responsável pelo reconhecimento do Futebol de Mesa como esporte pela Conselho Nacional de Desportos - CND, em 1988. O dia 14 de fevereiro, dia de nascimento de Décourt, é hoje o "Dia do Botonista".

Quem brincou com esse jogo sabe como é emocionante uma partida, como mostra essa matéria do Esporte Espetacular:


O Futebol de Botão é hoje praticado por pessoas de todas as idades, e disputado em campeonatos de diversos níveis, até mesmo fora do Brasil. O que no passado era apenas uma brincadeira de criança tornou-se um esporte com regras bem definidas e com uma legião de adeptos em diversos países.

Para saber mais, visite:

2 comentários:

Marcius Victor at: 11 de abril de 2012 23:58 disse...

É Alfredo, recordar é viver mesmo.

Lembrei-me dos tempos que era moleque, jogava futebol no chão da varanda, nas mesas improvidades na casa dos amigos, nas mesas de jantar quando nossas mães não estavam em casa!!!

Os botões de casca de côco, fichas de ônibus para as palhetas e caixas de fósforo com pedras e terra no gol eram a diversão da molecada. Depois de um tempo que podíamos compra os botões "galalite" para apimentar a diversão!!!

Muito legal este post e reportagem!

Valeu pela divulgação e compartilhamento!

Abraços.

Alfredo Manhães at: 20 de abril de 2012 07:44 disse...

Oi Marcius, jogo de botão foi uma febre em minha cidade nos anos 70 e 80...rs. Eta tempinho bom!
Abração!

Blogroll