Estampas Eucalol



As Estampas Eucalol são cartões colecionáveis que lembram os modernos “cards”. Elas foram impressas no Brasil entre 1930 e 1957 e vinham dentro das embalagens do sabonete Eucalol, um produto da empresa Correa da Silva e Cia Ltda. Sediada no Rio de Janeiro, ela era de propriedade dos irmãos Paulo, Ricardo e Erick Stern.

O sabonete Eucalol não era muito apreciado pelos consumidores devido à sua cor verde, pois era feito com extrato de eucalipto. Naquela época o branco e o rosa eram cores mais utilizadas pelas empresas de perfumaria para seus sabonetes.

As baixas vendas levaram os Irmãos Stern a organizar um evento nos  anos 1920, na tentativa de promover o produto: um concurso de poemas onde o tema central era o próprio sabonete Eucalol. Foram oferecidos prêmios em dinheiro, honrarias e a possibilidade de ver o texto publicado na Revista Fon-Fon. Entretanto a campanha não teve o êxito esperado e as vendas continuaram ruins.


Adotando uma nova estratégia de propaganda os Irmãos Stern lançaram séries de estampas colecionáveis sobre vários temas, a exemplo das estampas Liebig, um grande sucesso na Europa. A divulgação da campanha teve início em junho de 1930 com um anúncio no jornal A Noite, onde o público em geral era convidado a colecionar as estampas.


As Estampas Eucalol tornaram-se rapidamente um grande sucesso entre crianças e adultos e as vendas do sabonete impulsionaram o crescimento da empresa, que em 1932 alterou sua razão social para Perfumaria Myrta SA.
Ao longo de quase trinta anos (1930 a 1957) foram poduzidas 2.400 estampas divididas em 54 temas, como Bandeiras dos Estados do Brasil, A Vida de Santos Dumont, Danças, Uniformes do Brasil, Compositores, além de vários outros temas nacionais e internacionais.

As Estampas Eucalol podem ser consideradas um dos primeiros itens colecionáveis lançados na América Latina e sem dúvida tiveram papel importante na cultura de várias gerações de brasileiros.

4 comentários

Marcius Victor disse...

Grande Alfredo,

essa eu não conhecia, nem tinha ouvido falar! :)

Vivendo e aprendendo! O mais legal é saber que lá para os idos de 20 já se colecionavam figurinhas... Muito bacana!

Um belo post!

Forte abraço,
Marcius Victor.

Alfredo Manhães disse...

Olá Marcius, em breve vou postar a sequência de séries impressas. Agradeço a visita.
Abraços!

Sergio Bairros disse...

Gostaria de conhecer as estampas (figurinhas dessa época), tem previsão de quando vai posta-las? Gostei do seu blog

Luiz Vaz disse...

Muito boa essa publicação, eu tomei a liberdade de compartilhar este post numa página que acabo de publicar chamada A POÉTICA DO OBJETO, a intenção desta página é produzir uma investigação, ora acadêmica, ora lírica dos ritos e auras que acompanham o objeto desde sua criação à sua apreciação e/ou uso.

Muito grato pela tão boa postagem.

Qualquer desejo de contato, neste email da publicação do comentário, ou pela pag da Poética do Objeto, me encontro à disposição.

Luiz Vaz
Pesquisador de Memória e Acervos. Artista Plástico, Investigador Teatral e Professor de Artes.

Imagens de tema por MadCircles. Tecnologia do Blogger.